terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Canção do meu acaso.


Quase não tinha esta poesia...


Não tenho palavras
Quase não tinha esta poesia
Tenho um coração
Que por sorte ainda bate
Mas logo ele para
E os ventos sopram
Os fantasmas aparecem
Tudo fica escuro
Acabam se os sonhos
E vai se embora a vida

O "Poeta" acredita
Insisti com as palavras
Pois as conhece todas
Mesmo quando não ditas
Eu que quase não tinha
Esta poesia,
Volto a viver...

"O que é o silencio, a morte, diante dAquele, Que tudo pode?"




2 comentários:

Claudiane Ferreira de Souza da Silva disse...

O poeta sempre acreditará.

Marcos Henrique Justino disse...

Se não há poeta não existe poesia. o que seria nos?

O poeta sempre acreditará!!!!!

Postar um comentário